segunda-feira, 16 de março de 2009

A Estátua (03/02/2002)

Era uma forma triste
Aquela que velava...

Uma branca estátua,
A face nua,
Pálida à luz clara da lua
Que lá do firmamento
A iluminava...

Sobre meu túmulo
Uma lágrima rolava...
E um pranto convulsivo,
Um triste lamento
Pelo cemitério ecoava...

Era ela, tão triste,
Que chorava...
E sobre meu jazigo,
Num último adeus!
Minha lápide beijava...


(® P.O.Velásquez)

Um comentário:

  1. Lindo, triste, sombrio, estou gostando muito de ler seus poemas!

    ResponderExcluir