domingo, 6 de agosto de 2017

Duas Lágrimas – 04/06/2017

Do teu olhar duas lágrimas doloridas
Caem - por entre mágoas -, fanadas...
Caem dolorosamente e pungidas
Penetram profundamente minha alma...

Do teu olhar duas lágrimas sofridas
Escorrem como lágrimas parcas...
Escorrem pela tua face e fendidas
Deixam na minha face a tua marca...

Teu olhar - pelo meu olhar eclipsado! -,
Percebe no matiz do olhar preterido
Que o presente sempre traz o passado...

Nessa hora duas lágrimas vão ao chão!
Uma, a do teu olhar tanto sofrido...
A outra, a do meu olhar de solidão...

(Onivan)

Nenhum comentário:

Postar um comentário