sábado, 24 de maio de 2014

Daquelas Desgraçadas Tardes de Verão... 14/05/2014


De nada para o nada, de nós dois...
Daquelas desgraçadas tardes de verão
Só nos restaram escassas lembranças
Num desesperado grito de  solidão...

Nossos sonhos assim morreram
Em abraços natimortos desde então...
Aos nossos braços desmembrados
Não se suturaram outras mãos...

Daquelas desgraçadas tardes de verão...
Daquele acaso sobrevindo
Só o sangue na areia marca o chão...

É assim o amor: - Uma fatal desilusão.
Destrói tão fundo a alma
Que alcança destruir o coração...

(P.O.Velásquez)


2 comentários:

  1. no amanhecer como se fosse verão
    embora nem chuva caia
    passa um vento que em mim foge
    e uma ilusão nas acácias
    talvez seja verão perene
    todo o ano e as folhas sentem
    como se verão na ilusão da vida

    No entardecer dos dias de Verão, às vezes,
    Ainda que não haja brisa nenhuma, parece
    Que passa, um momento, uma leve brisa...
    Mas as árvores permanecem imóveis
    Em todas as folhas das suas folhas
    E os nossos sentidos tiveram uma ilusão,
    Tiveram a ilusão do que lhes agradaria...

    ResponderExcluir